Principais Pontos Turisticos

Menu Principal

Referências Turísticas

1- Assembleia Legislativa

O edifício que abriga a assembleia Legislativa de Alagoas guarda boa parte da historia do estado e do país. A primeira pedra fundamental do prédio foi lançada em 1850, em comemoração ao aniversário da Imperatriz do Brasil, D. Teresa Cristina. Quase cem anos depois, as instalações foram restauradas e, recentemente, o local passou por reformas.

End.: Praça Dom Pedro II, Centro, Maceió – AL

2- Biblioteca Pública Estadual de Alagoas - Palacete Barão de Jaraguá

O prédio que hoje abriga a Biblioteca Pública Estadual de Alagoas foi residencia do Barão de Jaraguá. Construído entre 1844 e 1849, o edifício chegou a hospedar D. Pedro II e a imperatriz Dona Teresa Cristina. É considerado uma das construções mais importantes de Maceió, já que mantém a arquitetura e a estrutura originais, com faixada neoclássica. A biblioteca possui arquivos que datam desde 1790. são cerca de 60 mil livros, obras raras, jornais, revistas, mapas e material audiovisual.

End.: Praça Dom Pedro II, 57, centro, Maceió – AL

3- Catedral Metropolitana

Fundada em 1859, a igreja passou por várias reformas e, por isso, possui em sua arquitetura traços de diversos segmentos artísticos. A Catedral tem como padroeira Nossa Senhora dos Prazeres e possui altar principal, imagens de vidro, torres quadrangulares, pia de mármore português, dois púlpitos decorados com filetes de ouro, e uma tela de óleo da Santa Ceia.

End.: Praça Dom Pedro II, s/nº, centro, Maceió – AL

4- Centro Budista Kunzang Ling

Kunzang Ling significa “lugar de harmonia”. No local, há condições e ambientes perfeitos para a meditação e o treinamento da filosofia budista tibetana.

End.: Rua Clarêncio Jucá, 225, Farol, Maceió – AL

5- Ecomuseu Comunitário “Graciliano é uma Graça”

Aqui, o visitante pode conhecer um pouco sobre a vida e a obra do escritor alagoano Graciliano Ramos. São murais, peças de época, esculturas e a coleção completa dos livros de sua autoria.

End.: Avenida Principal, 1.195, Conjunto Graciliano Ramos, Tabuleiro dos Martins, Maceió – AL

6- Galeria Karandash

Criada em 1985, a galeria possui em seu acervo mais de duas mil peças, divididas entre arte popular, arte contemporânea e utilitários, como garrafas, xícaras, tigelas e luminárias. Os visitantes podem conhecer o trabalho dos artesões locais e dos artistas plásticos Dalton Costa e Maria Amélia Vieira. Há peças em exposição permanente, em mostras temporárias e também a venda. Uma equipe especializada ajuda os interessados a encontrar peças de acordo com o que buscam.

End.: Avenida Moreira e Silva 89, Farol, Maceió – AL

7- Igreja Bom Jesus dos Martírios

É considerada um dos principais cartões postais da área urbana de Maceió. Sua arquitetura mistura elementos neoclássicos e neogóticos. É decorada com azulejos portugueses e possui torres com coramentos em formas de parafusos, púlpito com ornamentação rococó e arcadas ogivais.

End.; Praça Marechal floriano Peixoto, s/nº, centro, Maceió – AL

8- Igreja Nossa Senhora do Livramento

A história dessa igreja começa no século XVII, quando foi construída uma pequena capela, coberta por palha, em homenagem a Nossa Senhora do Livramento. A irmandade responsável pela capelinha era formada apenas por mulatos. Em 1870, o Frei Cataniceta angariou fundos junto à comunidade para a construção do atual prédio, inaugurado em 1883.

End.: Rua do Livramento, s/nº, centro, Maceió – AL

9- Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Essa igreja foi construída por negros em 1820. era uma pequena capela chamada de Senhor Bom Jesus dos Martírios, frequentada pelos escravos. Mais tarde, a singela construção deu espaço a um prédio maior, declarado igreja em 1930.

End.: Rua do sol, s/nº, Centro , Maceió – AL

10- Igreja Nossa Senhora Mãe do Povo

Essa foi a primeira igreja construída no bairro do Jaraguá, em 1888. era um templo pequeno, feito em taipa, mas hoje se destaca, em meio à Praça Dois Leões, por sua grandiosidade.

End.: Praça Dois Leões, s/nº, Jaraguá, Maceió - AL

11- Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas

Fundado em 1869, o Instituto oferece materiais sobre história, geografia e ciências sociais, principalmente com temas relacionados ao estado de Alagoas. Abriga um biblioteca com 14 mil volumes tombados; hemeroteca com 79 títulos de jornais publicados dentro e fora do Estado; mapoteca com 228 mapas; pinacoteca com telas raras artísticas como Rosalvo Ribeiro, Pierre Chalita e Angelis; seção de documentos com quase 4 mil exemplares históricos; e museu, que conta com um dos maiores acervos afro-brasileiro do País, peças indígenas, peças maçônicas, armas, objetos da época da escravidão e documentos e fotografias que retratam o auge do cangaço, inclusive com pertencentes de Lampião.

End.:Rua do Sol, 382, centro, Maceió – AL

2- Memorial Pontes de Miranda

Instalado na sede do tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região, o memorial tem como objetivo s preservar e divulgar a história da Justiça de Trabalho de Alagoas e a memória de Pontes de Miranda, um dos maiores juristas do país. Por meio de documentos, peças e exposições culturais, o local resgata as fases trabalhistas do Estado. O espaço abriga também, com frequência, exposições de artes plásticas.

End.: Avenida da Paz, 2.076, Maceió – AL

13- Mirante de Santa Terezinha

A vista é um presente para o turista, que pode conferir do alto o Estádio rei Pelé, o Palácio dos Martírios e a bela Lagoa de Mundaú. Do mirante tem-se uma vista panorâmica de toda a cidades. Ideal para tirar fotos e garantir uma bela recordação.

End.: Rua Capitão Samuel Lins, Farol, Maceió - AL

12- Memorial Pontes de Miranda

Instalado na sede do tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região, o memorial tem como objetivo s preservar e divulgar a história da Justiça de Trabalho de Alagoas e a memória de Pontes de Miranda, um dos maiores juristas do país. Por meio de documentos, peças e exposições culturais, o local resgata as fases trabalhistas do Estado. O espaço abriga também, com frequência, exposições de artes plásticas.

End.: Avenida da Paz, 2.076, Maceió – AL

13- Mirante de Santa Terezinha

A vista é um presente para o turista, que pode conferir do alto o Estádio rei Pelé, o Palácio dos Martírios e a bela Lagoa de Mundaú. Do mirante tem-se uma vista panorâmica de toda a cidades. Ideal para tirar fotos e garantir uma bela recordação.

End.: Rua Capitão Samuel Lins, Farol, Maceió - AL

14- Mirante de São Gonçalo

Deste ponto, a visão é privilegiada. Permite ver o porto da cidade e as praias de Ponta Verde e Pajuçara, além do Pontal da Barra do Jaraguá.

End.: Praça Rosalvo Ribeiro, s/nº, Farol, Maceió - AL

15- Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa)

Criado em 1981, o Misa possui em seu acervo audiovisual peças que datam de 1930 até os dias atuais. No local, podem ser encontrados vídeos, fotos, gravações de áudio, computadores, prensas, filmadoras e projetos de slides de cinema. Entre os destaques estão nove mil fotos em preto e branco, que retratam a arquitetura, as paisagens e os eventos alagoanos em áudios gravados nos anos de 2004 e 2005, com músicos do Estado dos mais diversos estilos.

End.: Praça Dois Leões, 275, Jaraguá, Maceió – AL

16- Museu da 2ª Guerra Mundial

Inaugurado em março de 1996, o museu tem como objetivos rememorar, preservar e perpetuar a historia da força Expedicionária Brasileira, do 1º Grupo de caça da FAB(Força Aérea Brasileira) e da Marinha em operação da Itália durante a 2ª Guerra Mundial. O museu foi organizado pela Major Enfermeira Elza Cansação Medeiros, 1ª voluntária brasileira para a 2ª Guerra. No acervo, estão armas, munições, uniformes, fotos e documentos, além de pratos e garrafas retirados do fundo mar , pertencentes ao navio Itapagé, torpedeado em agosto de 1943 pelo submarino alemão U-161, no litoral sul de Maceió, a 10 milhas da costa.

End.: Praça Olavo Bilac, 33, centro, Maceió – AL

17- Museu de Arte Brasileira – Fundação Pierre Chalita

Conta com uma das maiores coleções de pintura nordestina. Aqui, podem ser vistas obras de artistas alagoanos, sergipanos, paraibanos, pernambucanos e cearenses.

End.: Praça Manoel Duarte, 77, Jaraguá, Maceió- AL

18- Museu de Arte – Pierre Chalita

Esse museu oferece aos visitantes uma verdadeira aula de historia da arte. Em seu acervo estão imagens religiosas dos séculos XVII, XVII e XIX, além de diversas outras obras de arte, como pinturas, estatuas, e mobílias. Destacam-se as peças em estilo barroco, os quadros de pintores da Semana de 22 e as pinturas de Pierre Chalita, patrono da instituição.

End.: Praça Marechal Floriano Peixoto, 44, Centro, Maceió- AL

19- Museu de Historia Natural da Ufal

Criada para auxiliar nos estudos científicos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o museu possui em seu acervo materiais das áreas de zoologia, botânica e mineração, além de uma coleção de insetos e conchas.

End.: Avenida Aristeu de Andrade, 452, Farol, Maceió- AL

20- Museu dos esportes Edvaldo Alves Santa Rosa

Nesse museu, o visitante encontra um pouco da historia de todos os esportes do Brasil, principalmente de Alagoas. No acervo estão fotos, faixas, camisas, flâmulas, troféus, taças, jornais, revistas e materiais que registram grandes eventos da área. Destacam-se a faixa de campeão do mundo de Edvaldo Alves Santa Rosa, o Dida, jogador alagoano que passou 12 anos jogando no Flamengo, e a camisa azul do Brasil, usada por Pelé na decisão da copa de 1958, na suécia.

End.:Avenida Siqueira Campos, s/nº, Estádio Rei do Pelé, Térreo, Trapiche da Barra, Maceió- AL

21- Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore

Criado em 1975, o museu recebeu o nome do professor e folclorista Theotônio Brandão Vilela (Théo Brandão), que, no mesmo ano, doou sua coleção particular de objetos da cultura folclórica à Ufal (Universidade Federal de Alagoas). Em 1983, dois anos após a morte de seu patrono, o museu recebeu mais uma importante doação: seu acervo documental, que estava em poder de familiares. Atualmente, o local conta com 3 mil objetos da cultura popular brasileira e estrangeira, principalmente do México, da Espanha, e de Portugal. Entre as peças estão pesquisas, fotografias, filmes, fitas de vídeo,livros e folhetos de cordel. O museu conta ainda com um café, que oferece quitutes da culinária alagoana, e uma loja de artesanato, bem como um “Engenho dos Folguedos”, um encontro de grupos folclóricos realizado todas as quintas, às 20 horas.

End.: Avenida da Paz, 1.490, Centro, Maceió – AL

22- Palácio do comércio – Associação Comercial de Maceió

A inauguração da Associação Comercial de Maceió (ACMaceió), em 7 de setembro de 1866, foi marcada por um ato que representava a identidade da instituição, cuja proposta era a de presar pelo trabalho livre e remunerado: o dinheiro das primeiras mensalidades dos sócios foi usado para comprar a alforria de uma criança de 10 meses, chamada Bemvinda. Já a construção do Palácio do Comercio, sede da Associação, aconteceu entre 1923 e 1928, seguindo estilo neoclássico. Hoje, a edificação conta com livraria, museu de tecnologia do século XX, Exposição Permanente “Jaraguá, história e urbanização”, biblioteca e auditório. Às terças e as quintas acontece ali o ensaio do coral dos pequenos cantores do Jaraguá.

End.: rua Sá e Albuquerque, 467, Jaraguá, Maceió- AL

23- Palácio Floriano Peixoto – Palácio dos Martírios

Sede do Governo de Alagoas, é também conhecido como Palácio dos Martírios. Começou a ser construído em 1983 e foi inaugurado nove anos depois. Sua arquitetura é marcada pelo estilo renascentista e traz abóbada, escadaria em granito, pedestais e varanda.

End.: Praça Marechal Floriano Peixoto, s/nº, Centro, Maceió- AL

24- Porto de Maceió

O porto acompanhou o desenvolvimento da cidade de Maceió. Em 1875, foram dados os primeiros passos para a melhoria do ancoradouro que existia no local mas as obras foram adiadas. Em 1933, o Governo Federal autorizou a construção do porto em si e sua exploração comercial, mas só em 1942 as operações começaram oficialmente, marcada pelo embarque de açúcar. Em 1974, foi feito o aterro hidráulico e, quatro anos depois, o novo acesso rodoviário. Em 2001, por fim, ocorreu a instalação de um cais para contêineres.

End.: Rua Sá e Albuquerque, s/nº, Jaraguá, Maceió- AL

25- Teatro Deodoro

É o principal palco de Alagoas, com quase 100 anos de história. Seu salão nobre já abrigou a Biblioteca Pública, a câmara dos vereadores e a Justiça Federal. Também sediou encontros oficiais do Governo do Estado. Além disso, recebeu espetáculos regionais, nacionais e internacionais, entre os quais destacam-se “Um Beijo”, do alagoano J. Britto; “O Idiota”, de Dostoiewisk; “Mortos sem Sepultura”, de Jean Paul Sartre; “O Sorriso de Gioconda”, de Aldous Huxley; e a ópera “A Toscana”, pela Cia. Lírica Italiana. Artistas brasileiros consagrados apresetaram-se ali, como Paulo Autran, Bibi Ferreira, Arlete Salles, Juca de Oliveira, Ney Latorraca, Raul Cortez, Tônia Carreiro, Lima Duarte e Paulo Gracindo, bem como os cantores Roberto Carlos, Caetano Veloso, Simone, Fafá de Beléme outros.

End.: Praça Marechal Deodoro, s/nº, Centro, Maceió-AL

Fonte:

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License